22/01/2013

A crise do idealismo


Cada vez será menor a «elite» que os possui [valores], perante o desvairo do nosso tempo em que a sede dos prazeres materiais e a dissolução dos costumes, apoiadas por uma organização industrial ad hoc, corromperam a riqueza e as suas fontes, o trabalho e as suas aplicações, a família e o seu valor social. Há no Mundo uma grande crise do idealismo, do espiritualismo de virtudes cívicas e morais, e não parece que sem eles possamos vencer as dificuldades do nosso tempo. Sem rectificarmos a série de valores com que lidamos – valores económicos e morais –, sem outro conceito diverso da civilização e do progresso humano, sem ao espírito ser dada primazia sobre a matéria e à moral sobre os instintos, a humanidade não curará os seus males e nem sequer tirará lucro do seu sofrimento.

António de Oliveira Salazar in «Diário de Notícias», 1936.

5 comentários:

FireHead disse...

Os ditos nacionalistas racialistas ou étnicos (nazis, por outras palavras) são unânimes em não considerar o grande Salazar um nacionalista. Porque para eles o conceito de raça e etnia é indissociável ao conceito da nação. Para o Salazar não era, claramente. Para mim também não.

Reaccionário disse...

Apesar de estar fora do âmbito do post, volto a lembrar o conceito de Nação segundo Salazar: A Nação é para nós, sobretudo uma entidade moral, que se formou através de séculos pelo trabalho e solidariedade de sucessivas gerações, ligadas por afinidades de sangue e de espírito, e a que nada repugna crer, esteja atribuída no plano providencial, uma missão específica no conjunto humano.

FireHead disse...

Eu sei disso, amigo. Para os tais "nacionalistas" que eu referi a nação não é isso, logo estão contra o Salazar. É engraçado como no PNR pulula lá de tudo, desde nazis a salazaristas, passando pelos cristãos acérrimos a pagãos anticristãos primários, até aos a que são a favor do capitalismo e os que estão contra o grande capital. E o líder do PNR até agora ainda não me respondeu à mensagem que eu lhe mandei no Facebook. Se calhar nem o vai fazer porque não convém. Ainda bem que não voto no PNR.

Reaccionário disse...

Todos os partidos são salganhadas ideológicas, e o PNR não é excepção. Porém, creio que hoje em dia essa salganhada é menor do que foi há uns anos atrás. Ainda assim a maior crítica que eu hoje faço ao PNR é a sua real incapacidade para fazer política. O PNR é gerido há quase 13 anos por gente visivelmente inapta.

Eu também não voto no PNR. Aliás, não voto em partido nenhum, não sou democrata. No entanto, até poderia considerar a hipótese de votar, caso existisse um partido com gente minimamente séria e competente, empenhada em fazer uma política de verdade. Seria a aplicação do princípio cristão do "mal menor". Mas infelizmente, não há mal menor em Portugal...

FireHead disse...

Eu sou do CDS. :)