31/01/2013

Um outro género de homens


Que maldição o atingiu [o Ocidente] para que, ao final de seu desenvolvimento, só tenha produzido esses homens de negócios, esses comerciantes, esses trapaceiros de olhar nulo e sorriso atrofiado que se encontram por toda parte, tanto na Itália quanto na França, tanto na Inglaterra quanto na Alemanha? É essa gentalha o resultado de uma civilização tão delicada, tão complexa? Talvez seja preciso passar por isso, pela abjecção, para poder imaginar um outro género de homens.

Emil Cioran in «História e Utopia».

7 comentários:

Fernando Ulrich disse...

Se os sem-abrigo aguentam porque é que nós não aguentamos?

Reaccionário disse...

Fernando Ulrich... banqueiro, judeu, maçon... É preciso dizer mais?

PEDRO LOPES disse...

banqueiro, judeu, maçon... É preciso dizer mais?

Um individuo asqueroso.
Este e outros da irmandade numa sociedade saudável só tinham num sitio. A cadeia.
E para maior segurança para o futuro da nação esses chungas deviam ser todas esterilizados, para impedir que os seus genes se propagassem e sujassem o património genético da sociedade.

Reaccionário disse...

A cadeia, mas não sem antes ser-lhes retirado todo o património roubado. A usura é um pecado e um crime.

Curiosamente a família Ulrich pertence também à baixa nobreza, aquela de origem burguesa e que o Liberalismo ajudou a criar.

Anónimo disse...

A GENTE,QUE E BAIXA,JA DE NASCIMENTO..........

PEDRO LOPES disse...

Já agora, queria só referir que esta personagem que aparece neste artigo(Brevehearth) representa para mim o melhor filme de todos os tempos.
Já o vi 5 ou 6 vezes e sempre que o revi e ouvi a musica e as cenas fiquei sempre com pele de galinha.
Aquilo arrepia a sério.
Parece que nos faz elevar a outro patamar.

Mas o desgraçado do brilhante realizador de tal obra de arte, o "Mel Gibson" dai para cá teve certos e determinados problemas.
A sua atitude anti-semita no file sobre Jesus Cristo não caiu bem na elite Hollywoodesca, dominada por sionistas.

Porque será?

:)

Reaccionário disse...

Braveheart, um excelente filme. Mel Gibson, um brilhante actor, director e produtor. A Paixão de Cristo é outro dos meus filmes favoritos.