13/02/2013

A trama adensa-se...

7 comentários:

PEDRO LOPES disse...

A Igreja, foi infiltrada por cobras maçónicas sionistas já há muito tempo.

A Igreja já não cumpre qualquer função nos dias que correm.

Até já aceitam os Transgénicos, aceitam a ideia que somos descendentes de macacos, aceitam o Big Bang e toda uma tralha de dogmas modernos.

Aceitam o capitalismo apátrida, a exploração do trabalho.
Pouco ou nada falam sobre exploração sexual, sobre tráfego de órgãos, sobre a proliferação de drogas, nem sobre a merda mediática, nem sobre um ensino cada vez mais analfabetizante.

Nada interferem perante os poderosos que inflingem a miséria a outros povos através da guerra, esta maioritariamente levada a cabo por países supostamente católicos(EUA, NATO). Nada de discursos sobre a miséria provocada pelo comercio livre, sobre a destruição das sociedade tradicionais.
Em vez destes assuntos apenas falam aqui e ali do preservativo em África, ou da eutanásia, que embora sejam causas que se deve pronunciar, são irrelevantes perante outras muito mais dilacerantes.

A Igreja está moribunda. Foi tomada de assalto já há muito tempo.

A igreja poderia teria papeis importantes. Como a orientação espiritual e disseminação de uma filosofia moral.

Mas já não tem, e nem num passado mais antigo o teve verdadeiramente.
Ou renasce das cinzas e reforma quase a 100% ou desaparece.
E fica o consumismo, a cultura pop, o relativismo, a cultura gay etc...

Embora a Igreja Ortodoxa não esteja em tão mau estado com a Romana.
Na Rússia está a ter um papel importante e é bem aceite e respeitada pelas pessoas.

Rogério Maciel disse...

Foi...

Anónimo disse...

Um dia destes, a instâncias de uma amiga que tem filhos pequeninos e que me disse ter ficado completamente horrorizada com o que viu e ouviu, fui ver uns vídeos sobre os ocultismos e outros ismos em que o poder mundial está imerso, com predominância para os E.U., que sendo a 'democracia'-mãe é a que dita as regras pelas quais se regem todas as 'democracias' do Globo, adulterando e conspurcando a ética e a moral nas quais as sociedades civilizadas e livres se baseiam. Apesar de ter suspeitas não deixei de ficar banzada por tão importante personalidade política a nível mundial, cujo poder se repercutia (e continuou com o filho e com outros antes e depois dele) em todas as democracias com fortíssimo impacto nos seus modus vivendi e modus faciendi, estar profundamente implicada numa tão degradante rede de pedofilia que, é sabido, se estende a todo o mundo.
É do conhecimento geral que ele e o filho pertencem a uma das mais poderosas lojas maçónicas, a Skull&Bones, assim como muitos outros políticos norte-americanos e personalidades influentes do mundo financeiro, empresarial e social desse país.
O que mais me apavorou não foi tomar conhecimento dos diabólicos rituais praticados - desses horrores já tinha alguma ideia pelos testemunhos dos abusados de pedofilia em Portugal, França e Bélgica - mas o ter ouvido QUEM (o como e o quê) submetia crianças a rituais horripilantes (alguns dos quais coibo-me de mencionar) obrigando-as a participar em actos de crueldade inimagináveis para lhes quebrar a vontade, instilar medo e anular-lhes o discernimento, obrigando-as a submeterem-se a práticas sub-humanas repugnantes para satisfação dos seus ímpetos lascivos. E horror máximo, assistirem ao desmembramento de corpos de outras crianças para lhes comerem as partes. Canibalismo puro. E isto passa-se nos E.U.A. em pleno séc. XXI. O descrito foi revelado por uma jovem que viveu neste antro de selvajaria, obscenidade, ocultismo e violência, citando nomes de ex-presidentes como Reagan, Clinton, a mulher Hillary (esta ainda que presente não a viu praticar tais actos) e outros mais.

O número de crianças raptadas, só nos E.U., que vão parar a estas redes de pedofilia é de 30.000/ano(!!!!!!) fora as que o são no resto do mundo e depois encaminhadas tanto para esta 'sede' ou casa-mãe como para as suas 'filiais' espalhadas pelas restantes 'democracias'.
Quem é o tresloucado e um dos homens mais poderosos e também mais perigosos do mundo, que se presta a tão horrendas práticas de terror e ocultismo? George Bush-pai. Esse mesmo. Mas não só ele. Eis porque desaparecem tantas crianças no mundo inteiro para nunca mais serem localizadas. O poder destas bestas humanas é tal que uma vez subornados os governantes das 'democracias', são estes mesmos que impedem as respectvas autoridades policiais de as procurar. Veja-se o caso do Portugal pós-Abril.
Para aqueles que duvidavam ou nem punham em causa a integridade deste ex-governante e doutros, actuais e ex. - tanto os de lá, como os das restantes 'democracias', como os que por cá ainda cirandam impunes - aqui têm a prova da massa pútrida de que todos eles são feitos. São seres indignos que não satisfeitos de terem virado o mundo do avesso por meios ultra secretos, também estão a destituir a própria humanidade do seu equilíbrio físico e mental. São estas criaturas diabólicas que criaram e controlam todas as redes criminosas que assolam os países a nível mundial. Foram estes monstros que num determinado dia decidiram capturar o planeta Terra e, qual propriedade privada, mantê-lo sob a sua férrea alçada. E pensam eles que será para sempre, mas estão redondamente enganados. Eles têm os dias contados. Os povos finalmente acordaram para a realidade e hoje estão plenamente conscientes do incomensurável perigo que os seus mentores representam para a sobrevivência da humanidade e de que eles, povos, têm sido espectadores e vítimas década após década. Mas tudo tem um fim. Chegou esse tempo. O tempo do fim.
Maria

Anónimo disse...

O ex-ministro inglês já falecido Edward Heath, pertencia a uma rede de pedofilia - que se poderia classificar "de Estado" sem receio d'errar, tal como cá - e obtinha as crianças através do pedófilo também já falecido, locutor da BBC durante várias décadas, Jimmy Saville, cujos vícios foram descobertos há pouco tempo, o que levou a outras revelações e a outros nomes de políticos pertencentes a essa rede que existia (e ainda existirá) no Reino Unido.
As crianças eram angariadas por este Saville em colégios e locais de fácil acesso para irem passar uns dias no Yacht de Ted Heath (como era tratado) "Morning Cloud". Após as 'férias' no Yacht do primeiro ministro, as crianças desapareciam como o fumo (tal com cá).
Onde estariam? Pois no fundo do mar. Após serem brutalmente abusadas eram assassinadas e atiradas ao mar. Segundo se sabe passaram pelas "mãos" de Heath cerca de 300 crianças. Este método de se desfazerem das crianças era a única maneira de Ted Heath e outros políticos e gente da sociedade não serem denunciados. Segundo Michael Shrimpton este método era o mais seguro porque sendo crianças de sete ou oito anos ou de quatro e cinco, já tinham consciência dos crimes e memória visual dos criminosos e portanto capacidade de os identificar e isso provocaria um escândalo de proporções inimagináveis a que estas personalidades jamais se podiam permitir.
Algumas destas crianças desaparecidas foram procuradas insistentemente pela polícia, inclusivé escavando terrenos à volta dos colégios onde poderiam ter sido enterradas, mas nunca foram encontradas. Claro, elas estavam sepultadas, sim, mas no fundo do mar.

Saville tinha no seu cadastro para cima de 150 crimes de pedofilia. Nunca foi denunciado e julgado enquanto vivo e é natural, estava protegido ao mais alto nível político (lá como cá). Toda a BBC e governo conheciam de cor e salteado as práticas obscenas a que esta repugnante criatura se dedicava. Segundo Shrimpton (ex-jornalista e advogado) a BBC está gravemente implicada no encobrimento destes crimes de pedofilia durante mais de vinte e cinco anos.

Robin Cook, pertencia ao Labour Party e era membro do Parlamento desde 1974. Segundo Shrimpton, foi um tribuno de vulto, reconhecido pela sua inteligência, erudição e discursos inflamados mas justos e elogiado até pelos colegas da oposição. Teve cargos importantes no governo de Tony Blair, do qual se demitiu em 2003 por estar em desacordo total com a guerra no Iraque. E disse-o no Parlamento e já fora da política escreveu-o em artigos de jornal e também sugeriu que Blair se demitisse para que acabasse o apoio do governo às guerras preventivas. Cook sabia demais e era preciso calá-lo.
Pouco depois de ter escrito que a Al Qaeda era uma invenção da Cia para recrutar mais meios militares e dinheiro para a guerra, estava também prestes a denunciar os escândalos de pedofilia em que estavam implicados políticos importantes.
Cook foi assassinado em 2005 por ter denunciado as mentiras monstruosas sobre a guerra do Iraque, da Al Qaeda, do duplo papel de Blair e sobretudo pelo medo atroz das revelações escabrosas que dele ainda poderiam advir. Como por ex., o assassinato de Diana e o desaparecimento de Maddie MacCann, de que Cook teria conhecimento.

A rede de pedofilia em que estiveram e estão implicados governantes ingleses e outros políticos, bem como gente da sociedade e dos negócios do Reino Unido é, sem tirar nem pôr, igual àquela que por cá houve e porventura ainda perdura. De políticos a governantes, de gente da sociedade a locutores de rádio (cá foi da televisão, mas vem a dar ao mesmo), de cançonetistas a actores, de médicos a arquitectos, etc., foi tudo tirado a papel químico de um país para o outro.
Perante tão macabro quadro não admira que Joaquim, Sofia, Patrícia, Rúben, Rui Pedro, Maddie e muitos outros, não tenham aparecido até hoje. As redes são as mesmas, só diferem os palcos e os actores.

E é nas mãos destes psicopatas coadjuvados por seres doentios seus iguais que reside o destino da humanidade.
Maria

Anónimo disse...

Faltou acrescentar este "pormaior" curioso e muito perigoso, mas tendo em conta as mentes criminosas que controlam todas as democracias, União Europeia incluída, este facto inconcebível não espanta nem um bocadinho. Quem fizer parte das redes criminosas que assolam o globo, nada tem a temer está protegido.
Nas palavras de Michael Shrimpton (advogado e ex-investigador criminal dos serviços secretos) há um pedófilo inglês (mas e será só um? e se sim, doutras nacionalidades quantos mais haverá?) que fez/faz parte da mesma rede de pedofilia de Ted Heath cujo nome se escusou de revelar por motivos óbvios.
Maria

Anónimo disse...

Há uma uma frase incompleta no comentário acima. Peço desculpa.

Leia-se "... há um pedófilo inglês, membro de um dos principais partidos, na União Europeia (mas e será só um?..."
Maria

Anónimo disse...

Diz o povo que não há uma sem duas, nem duas sem três e parece ser verdade. Corrigindo lapsos, pois.

Edward Heath foi Primeiro Ministro do partido conservador e não simplesmente ministro.

Relativamente ao pedófilo inglês que está a representar o seu partido na União Europeia, claro que queria dizer no Parlamento Europeu.

Quanto às crianças abusadas sexualmente por Jimmy Saville e por Ted Heath, troquei-lhes os 'valores' (digamos assim). Segundo as autoridades, passaram pelas mãos de Saville cerca de trezentas crianças e pelo yacht de Edward Heath pelo menos cento e cinquenta. Esta troca de números não tem a menor importância, mesmo que tivesse sido só uma criança a ser abusada por cada um deles, já teria sido demais.

Agora é que está tudo correcto, espero. Acontece que li estas declarações já vai algum tempo e escrevi tudo de memória.
Maria