24/11/2014

Democracia e corrupção


É evidente e ensinado pela experiência que é fácil a corrupção onde a responsabilidade de poucos é substituída pela irresponsabilidade de muitos: os regimes democráticos prestam-se, mais do que nenhuns outros, a compromissos, entendimentos, cumplicidades abertas ou inconscientes com a plutocracia.

António de Oliveira Salazar in «Discursos e Notas Políticas».

1 comentário:

Anónimo disse...

Nem mais! Palavras sábias vindas de quem foi talvez o mais íntegro, rigoroso e denodado político no desempenho do mais alto cargo governativo para o qual foi livremente eleito, além de defensor extrénuo do seu Povo e da sua Pátria contra os seus mais férreos inimigos e traidores. Exactamente o oposto dos ladrões, corruptos, traidores e criminosos que, a pretexto de uma farsa de regime malìgnamente engendrada, infelizmente lhe sucederam capturando maquiavèlicamente as rédeas do poder tendo como finalidade única e exclusiva retalhar Portugal aos pedacinhos, destroçando irremediàvelmente a paz e a felicidade do bom povo português, atingindo mortalmente, qual encarnação do Diabo que o são, a alma de uma Nação desde há décadas a sangrar de dor e amargura cuja Gloriosa existência vai a caminho dos mil anos, mas, desgraçadamente para Portugal, nem isso lhe valeu para ter conseguido travar tão enraízada e satânica maldade.
Maria