25/02/2015

Absolutismo não é a vontade caprichosa do Rei

Infante D. Pedro de Portugal

O Absolutismo triunfa sem reservas no século XVIII. É conveniente acentuar que o Absolutismo não é, em todo o caso, a vontade caprichosa do Soberano, – o bon plaisir du prince. "Na Monarquia absoluta – escreve Amédée Bonde no seu Droit Constitutionnel –, o monarca reúne em si todos os poderes; ele faz a lei, mas a lei promulgada por ele obriga-o tanto como aos seus súbditos".

António Sardinha in «Ao Princípio era o Verbo».

Sem comentários: