21/04/2015

Daniel Oliveira: um exemplo de racismo anti-branco


Bem lhes podem fechar a porta. Eles entrarão pela janela. Felizmente tomarão conta das nossas cidades (...). E, se não fôssemos tão estupidamente arrogantes, até fariam qualquer coisa desta Europa aristocrata, falida e snobe. Se tivéssemos aprendido com a América, saberíamos que o futuro é dos melhores. E os melhores são os que partem. Espero que não se integrem na mediocridade nacional. Que venham muitos e façam disto um país. – Daniel Oliveira, semanário Expresso, 2006.

A solução para o envelhecimento e decadência cultural da Europa está nos imigrantes que deixamos naufragar ao largo da nossa costa. Manter a Europa como uma fortaleza não é apenas inviável. Fará definhar este continente dominado pelo medo. Destruir as embarcações que estes homens, mulheres e crianças usam para atravessar o Mediterrâneo não travará quem corre todos os riscos para fugir à miséria, à guerra e à morte. – Daniel Oliveira, semanário Expresso, 2015.

7 comentários:

Anónimo disse...

Nem conhecia o referido sujeito,mas uma rápida busca no google causou-me naúseas.Pior que ele só o tal do sodomita Jean Wyllis aqui no Brasil.

Afonso de Portugal disse...

Um verdadeiro filho da puta. Peço desculpa pela linguagem -e não levo a mal se censurar este comentário- mas não encontro outra forma de qualificar esse energúmeno.

Thor disse...

esse energúmeno é judeu e basta.

agora, dir-me-ão que não é sionista...
pois, ele critica israel e tal (grande coisa), mas diz apenas que as supostas 'respostas' de israel são exageradas, desproporcionadas e criminosas.
agora, ele legitima as ditas 'respostas' de israel e já o vi defender que israel tinha o direito de se defender e de atacar Gaza.
o que ele não diz é que as supostas 'respostas' de israel, são na realidade, quase sempre ataques unilaterais.
ora que grande 'anti-sionista' que ele é.

http://hyperborea-land.blogspot.pt/2015/04/o-bloco-esquerda-e-israel.html

se ser anti-sionista é ser de 'esquerda', então eu estou muito mais à esquerda que esse Daniel Oliveira, fogo! mas muito mais.

e criticar Tel-Aviv ou o Netanyahu é fácil. dá 'credibilidade' e tal.
o que é difícil mesmo, é apontar o dedo à judiaria internacional que conspurca o nosso Ocidente, com ele incluido.
o que é difícil é apontar o dedo ao sionismo e judiaria como um todo e não apenas ao 'apêndice' de Tel-Aviv - que
é centro espiritual do sionismo juntamente com Jerusalém, mas que é apenas uma pequenina parte do mesmo.

é fácil dizer que o mau é apenas o Netanyahu e os militares mas que os judeus de israel são bons, só que não corresponde à verdade.

tanto esse Oliveira como Louçã são 'anti-sionistas' da treta que não enganam ninguém e sobretudo racistas anti-brancos, como diz e bem o Reaccionário.

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

POS-ROTAS EM CAUSA PROPRIA HAHA

muja disse...

O papel da esquerda, neste caso como em todos os outros, é fixar os limites do discurso.

É criar o politicamente correcto que é, por outras - mais claras - palavras, política ou opinião que não admite oposição; isto é, o totalitarismo.

Pedro Lopes disse...

Há uma coisa que certamente não veremos, nem em Portugal nem noutras partes do ocidente ocupado.

Não veremos esse bem pensantes e "humanistas" que defendem o multi culturalismo irem morar de portas abertas para os bairros mais problemáticos.

Não os veremos meterem os seus filhos em escolas desses bairros.

Não os veremos em hospitais públicos porque estão cheiros de imigrantes e gente pobre.

Não os veremos irem passar férias para as praias perto de locais onde vivem mais imigrantes.

Os defensores do multiculturalismo, alguns são meros otários que defendem isso porque fica bem e ouviram a outros paspalhos nas TVs. Mas outros sabem bem o que estão a fazer. Conhecem a agenda.

A maioria tem sangue de outro tipo....

Esfregar-lhes com estatísticas de criminalidade, violações, raptos, desemprego, vandalismo não chega. Não chega porque eles ainda conseguem deitar a culpa disso para cima dos Europeus.

São uns.....F...

Anónimo disse...

O problema da Europa é União Europeia e seus eurocratas movidos pelos fios de marionetas dos grandes banqueiros anglo-americano-sionistas. Enquanto estes verdadeiros assassinos não forem responsabilizados, a Europa vai enpobrecer, envelhecer e nem os refugiados africanos ou árabes nos salavaram com rejuvenescimento da população. Primeiro para a Europa crescer é melhor destruír esta UE pela raiz que parece não ser o propósito de Daniel Oliveira.