04/06/2016

Cassius Clay (Muhammad Ali) sobre miscigenação


O negacionismo racial é uma construção socialista.

13 comentários:

Fernando disse...

Caro reaccionario eu concordo com essa ideia de não misturar as raças, mas eu tenho uma duvida histórica Portugal e Espanha nas suas colonizações na America não incentivaram a miscigenação entre colonos, índios e negros? Abraços!!!

Reaccionário disse...

Caro Fernando,

Não vale a pena discorrer agora sobre as diferenças entre a civilização católica e protestante. Contudo importa recordar que a democracia moderna e o liberalismo nasceram do protestantismo, cuja visão do Homem é igualitária (livre-exame, abolição da hierarquia eclesiástica, etc.). Mas na civilização católica a sociedade está ordenada e hierarquizada. Por exemplo, os casamentos não se davam entre diferentes estados (nobreza, plebe, escravos). Portanto não é lógico que se diga que a Igreja incentivasse a miscigenação. Poderão ter ocorrido casos de casamentos mistos no Brasil, na África e na Ásia, mas tal seria a excepção e não a regra.

Fernando disse...

obrigado por responder reaccionario gostaria de saber como era realmente a escravidão no Brasil sem os mitos historicos fortificados por filmes, novelas e tal. Reaccionario o que é o carlismo e o que acha dele?

Reaccionário disse...

Não tenho uma opinião formada sobre o carlismo propriamente dito. Sei, porém, que os adeptos do carlismo e da hispanidade carregam o peso de alguns erros histórico-filosóficos, como por exemplo: crêem na "santidade" de Isabel, a Católica, têm uma visão deformada da monarquia absoluta (caíram na tese liberal do "absolutismo", coisa que nunca existiu), e ainda condenam a escravatura por inteiro (tese anti-católica) em vez de condenarem os abusos ocorridos na escravatura.

Fernando disse...

mas Reaccionario a Igreja lutou para acabar com a escravidão pagã na idade media e que ela teria voltado como um reflexo do renascimento e da decadência moral da sociedade da época isso esta correto? e na questão do Absolutismo não teria havido alguns abusos de Luis XIV por exemplo ou estes seriam apenas casos de regalismo decorrentes do mesmo renascimento e da reforma? e o pessoal da hispanidade mesmo com esses erros tem coisas boas não? Abraços do Brasil

Reaccionário disse...

O único documento oficial da Igreja a condenar a escravatura data do século XIX (século do liberalismo) e nele não se vê uma condenação à escravatura enquanto tal, mas sim uma condenação aos excessos e abusos ocorridos durante a escravatura. Fica também patente que a escravatura fora de um contexto católico torna-se numa forma de opressão e violência injusta.

A tese liberal do "absolutismo" diz que a monarquia absoluta é uma nova forma de monarquia, diferente da monarquia da Idade Média. Mas a tese falha quando se investigam as fontes históricas e se comprava que o pode do Rei no período medieval era igual ao poder do Rei no período barroco. Aqui no blogue encontra material a esse respeito.

Em relação à Hispanidade e ao Carlismo, certamente que têm coisas boas. Afinal o mal absoluto não existe. Contudo creio que eles só teriam a ganhar se corrigissem algumas das suas posições.

Abraço de Portugal

Fernando disse...

Reaccionario a monarquia de D. João VI no Brasil era tradicional?

Reaccionário disse...

O reinado de D. João VI já está na fase de transição entre monarquia absoluta (católica e tradicional) e a monarquia liberal (constitucional e parlamentar). Pode-se dizer então que é uma monarquia tradicional em fase de decomposição.

Fernando disse...

Reaccionario você poderia me indicar algum livro serio sobre a sociedade colonial no Brasil? abraços !!!

Reaccionário disse...

Não me recordo de nenhum livro específico sobre essa temática. Mas aconselho-o a procurar por exemplo no Google Books livros sobre o Brasil até ao século XIX (1800). Porque depois dessa data, o liberalismo entrou em força e deturpou toda a História.

Fernando disse...

Reaccionario eu tenho sobrenomes Santos e Costa e pelo que sei esses nomes tem origem portuguesa isso significa que tenho origem portuguesa? e gostaria de saber se esses dois nomes foram usados por cristãos novos portugueses? ficaria muito grato se soubesse responder essas questões abraços!!!

Reaccionário disse...

Os apelidos (sobrenomes) Santos e Costa são de origem portuguesa, mas não é líquido que por causa disso se têm origem portuguesa. Isto porque, sob o domínio português, quando um índio, um africano ou um judeu se convertia ao Catolicismo, normalmente adoptava um apelido português. Ainda mais no caso dos escravos, que adoptavam o apelido dos seus senhores. Portanto, para averiguar se tem origem portuguesa será necessário recorrer a outras ferramentas, como por exemplo a árvore genealógica.

Cavaleiro Erlantz disse...

eu perguntei sobre a monarquia porque aqui no Brasil acredito que você saiba existe o movimento monarquista de D. Luiz Orleans e Bragança que quer uma monarquia parlamentarista e constitucional influenciada pelo liberalismo. Mas aqui tem um outro ponto de vista desse movimento monárquico do professor Carlos Nougue gostaria que visse: http://www.estudostomistas.com.br/2016/06/o-movimento-monarquista-brasileiro.html emfim achei interessante. Você acredita também em uma possibilidade de restauração do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves que foi quebrado pela independência do Brasil? porem entendo que todas essas coisas só seriam possíveis com uma restauração cristã da sociedade algo que só seria possível nos tempos de hoje por mãos divinas abraços!!! do outro lado do Atlântico