11/07/2016

A invasão cosmopolita em França

Selecção "Francesa" de Futebol

A grande invasão cosmopolita em França começou, porém, após a [primeira] guerra mundial.
A deficiente natalidade, agravada pelo morticínio da guerra e as destruições sistemáticas dos Alemães, produziram em França uma falta extraordinária de braços e a necessidade de chamar imigrantes. A França tornou-se assim um país de imigração, como as nações americanas, pertencendo ao número dos curiosos países que são colonizados pelas colónias. Ali vão dar fundo numerosas colónias de pretos, mulatos, chineses, índios, marroquinos, argelinos, judeus, árabes, etc., o que começa já a preocupar os franceses conscientes. A criminalidade tem aumentado consideravelmente com esta miscelânea cosmopolita, e se a França continua com este regime de porta aberta, daqui a um século não se reconhecerá a si própria; pois terá mudado por completo tanto o seu fácies físico como o psíquico. Poderá ainda conservar o seu nome e a sua língua, mas o seu sangue e a sua alma serão muito diferentes.

J. Andrade Saraiva in «Perigos que Ameaçam a Europa e a Raça Branca», 1932.

§

Nota 1: Se esta triste situação se verificava em França em 1932, a verdade é que hoje ela se generalizou um pouco por todo o mundo ocidental, e Portugal não é excepção, apesar de não estarmos na pior situação.

Nota 2: Este autor e esta obra não são inteiramente recomendáveis. A passagem aqui citada é divulgada apenas pela informação verídica que contém.

16 comentários:

Josephvs disse...

Nem tanto ao mar....

http://voxcantor.blogspot.ca/2016/07/in-support-of-cardinal-sarah.html

Reaccionário disse...

Mas Josephvs, o que o Cardeal Sarah pretende é tornar mais digno um acto indigno por si. A Missa de Paulo VI simplesmente não tem lugar na Igreja Católica. Deve ser ab-rogada.

Josephvs disse...

o meu comentario nao era sobre religiao.....

Reaccionário disse...

Sobre o que era então?

Josephvs disse...

ou sera Q me quer chamar begueiro ???

Josephvs disse...

era segurament sobre o tema!

Reaccionário disse...

Josephvs, onde das minhas palavras depreendeu que lhe estava a chamar burro (begueiro)?

Agradeço que quando comenta um determinado tema, seja mais explícito e vá logo directo ao assunto, para não haver margem para dúvidas.

a disse...

SALVE MARIA

Mas, porque terá vindo parar aqui o Cardeal Sarah? É simples: como se mostrava o caos que a França iniciou com o abrir de portas, o Josephvs pensou que tal não eram apenas coisas más, pois agora um Cardeal Negro veio "salvar" a "Tradição" e a liturgia "católica"! ... Ohhh desgraça!!! Chegámos ao tempo em que o mal se toma por bem, e o bem por mal, sem sequer se saber o motivo, sem sequer sentir adversidade!

O Missal de Paulo VI é um acidente; ele não é objecto de promulgação... ou seja, de forma alguma pode ser promulgado como RITO ROMANO. A promulgação do Missal de Paulo VI como RITO ROMANO, não pode passar de uma acto de intenção oficiosa... nada mais! Este equívoco lamentável, produziu a sua própria tradição, a qual não é mais que um gradual afastamento (consequências óbvias) daquilo que o RITO ROMANO milenar produziu. Quer-se agora colocar o Missal de Paulo VI (fonte de erros e confusão) no trono dos frutos virtuosos do milenar RITO ROMANO. Isto é uma elevação do erro!

Aquilo a que chamam "reforma da reforma", não me parece que seja coisa que venha de Deus.... a não ser que, entre o bem e o mal exista o "neutro".

Josephvs disse...

a
Se tivesse confiança consigo ...

rito romano pra aqui & acolá ... cheira-me a KKK

I – Rito Latino
II – Rito Bizantino
III – Rito Arménio
IV - Rito Antioqueno
V – Rito Caldeu
VI – Rito Alexandrino


No Rito Latino: rito Latino-Romano; rito Ambrosiano; rito Moçárabe; rito Galicano ou Lionês


PS- o meu comentario inicial : NEM TANTO AO MAR..,.

Cavaleiro Erlantz disse...

Caro Reaccionario o que pensa do nazismo e do fascismo? Salve maria !!! Abraços!!!

Reaccionário disse...

Cavaleiro Erlantz, a esse respeito, como a qualquer outro, o meu pensamento é o tradicional católico. A Igreja é a nossa mãe e mestra infalível. É através da sua Doutrina e Pensamento que devemos orientar a nossa vida e as nossas posições morais, sociais, políticas.

Cavaleiro Erlantz disse...

é porque você disse que o fascismo tinha coisas boas como ordem, disciplina, hierarquia, autoridade e etc... emfim por isso perguntei. Mas esta correto é através da doutrina da santa madre Igreja que devemos nos guiar. O regime franquista na Espanha foi algo semelhante ao que aconteceu com Salazar em Portugal? Abraços!!!

Reaccionário disse...

Cavaleiro Erlantz,

Claro que o fascismo tem coisas boas. Porém não é a melhor solução, a mais perfeita.

Sim, em traços gerais podemos dizer que o franquismo foi semelhante ao salazarismo.

Reaccionário disse...

Josephvs,

Cheira-lhe a Ku Klux Klan? Olhe, em vez de usar ataques ad hominem desprovidos de argumentos como fazem os marxistas culturais ("racista", "fascista", "xenófobo", "homofóbico", etc.) deveria antes perguntar-se porque motivo não acha bem a defesa da integridade étnico-cultural de um povo?

A descrição que faz sobre os vários ritos católicos é irrelevante para o assunto exposto pelo a.

Cavaleiro Erlantz disse...

aqui no Brasil acredito que você saiba existe o movimento monarquista de D. Luiz Orleans e Bragança que quer uma monarquia parlamentarista e constitucional influenciada pelo liberalismo. Mas aqui tem um outro ponto de vista desse movimento monárquico do professor Carlos Nougue gostaria que visse: http://www.estudostomistas.com.br/2016/06/o-movimento-monarquista-brasileiro.html emfim achei interessante. Você acredita também em uma possibilidade de restauração do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves que foi quebrado pela independência do Brasil? porem entendo que todas essas coisas só seriam possíveis com uma restauração cristã da sociedade algo que só seria possível nos tempos de hoje por mãos divinas abraços!!! do outro lado do Atlântico

Reaccionário disse...

Cavaleiro Erlantz,

Recomendo a leitura: http://ascendensblog.blogspot.pt/2012/09/brasileiros-salvai-monarquia-mas-atirai.html