21/07/2016

Os cristãos nasceram para o combate


É uma ilusão supor que a guerra é sempre um erro e que o mundo se poderá ver livre dela. Isto é falso. A guerra deve existir sempre; mas não a guerra exterior: a interna. Quando travamos guerra, contra o mal em nós, diminuem ao mesmo tempo as guerras exteriores. A razão por que vivemos num século de guerras exteriores é a de nos descurarmos no travar da batalha interior contra as forças que destroem a mente e a alma. Aquele que não descobrir o inimigo dentro de si, encontrá-lo-á, sem dúvida alguma, fora. O que se passar na mente, passar-se-á em seguida no mundo. Se a mente estiver no erro, então o mundo será uma loucura.

Mons. Fulton Sheen in «Aprendei a Amar».

2 comentários:

Alexandre Ávila disse...

é urgente que os homens de boa vontade mais uma vez se unam com o propósito de darem suas vidas pelos inocentes perseguidos no oriente médio fundando uma nova ordem religiosa militar, por Nosso Senhor Jesus Cristo, pois seria a glória morrer no campo de batalha ou martirizado pelos infiéis, dando prova à estes de que lado o Deus vivo está. Não gostaria de ir pro purgatório, mas sim, morrer pelos irmãos, já que nenhum homem de poder(da Europa e Américas) tem coragem para fazer a coisa certa. Que honra seria ser recebido pelo próprio Rei dos Reis na cidade Celeste de Jerusalém. Além do mais dissiparia minhas dúvidas com relação ao Papa Francisco, dependendo da sua reação a um pedido de oficializar uma nova ordem religiosa militar. Seria algo fascinante e caminho de caridade e salvação para tantas almas de homens pecadores como eu.

Genário Silva disse...

Hoje, temos de combater o desânimo e o secularismo, que tantos males têm causado ao povo católico!