31/08/2016

Para compreender o Liberalismo

Farto de ver tantas pessoas falar sobre o Liberalismo sem saber nada do assunto, achei por bem divulgar um capítulo inteiro de uma obra de Monsenhor Marcel Lefebvre, no qual fica bem patente em que consiste o erro do Liberalismo.

(clique para ampliar)




3 comentários:

Pedro Oliveira disse...

Certíssimo!
Aquilo que sublinhou não é a definição, certo? É uma caracterização!
O liberalismo, resumidamente, é a crença de que a liberdade não depende da verdade!
Cumprimentos.

João Titta Maurício disse...

Não é de todo verdade isso. Confundem ou não fazem a importante distinção entre Liberalismo "francês" e "escocês".

Reaccionário disse...

João Titta Maurício,

É curiosa essa distinção que faz entre o liberalismo francês e escocês, porque assenta na mesma distinção que a maçonaria faz do rito francês e do rito escocês. Coincidência? Não creio, pois tal como disse um grão-mestre da maçonaria em 1877: «a maçonaria é a filosofia do liberalismo».

No entanto, e mais importante do que qualquer derivação ou partidarização dentro do liberalismo, a realidade é que o liberalismo é um erro condenado pela Igreja Católica, e que se define como «a crença de que a liberdade não depende da verdade» (Pedro Oliveira). Logicamente, a partir desta crença desenvolvem-se diversos princípios errados, como: «a absoluta soberania do indivíduo com inteira independência de Deus e da sua autoridade; soberania da sociedade com absoluta independência do que não provenha dela mesma; soberania nacional, isto é, o direito do povo para legislar e governar-se com absoluta independência de todo o critério que não seja o da sua própria vontade expressa primeiro pelo sufrágio e depois pela maioria parlamentar; liberdade de pensamento sem limitação alguma em política, em moral ou em religião; liberdade de imprensa, igualmente absoluta ou insuficientemente limitada; liberdade de associação com igual latitude» (D. Félix Sardá y Salvani)