13/01/2015

Contra o Liberalismo


Não aceitamos o mito do progresso contínuo. Não aceitamos liberalizações. Fujamos às tentações e aos caminhos escorregadios abertos pelo deslumbramento do "pluralismo". Não façamos desvairadas corridas a autonomias. Procedamos com firmeza e consciência, cultivando as minorias valiosas e sabendo ver onde elas estão. Sem medo ao extremismo, porque existe um extremismo indispensável: o do bem, da verdade, da justiça, que não tem acomodações, nem meias-tintas, nem hibridismo.

Adaptado de «Dominar as Ondas», nº2, II Série, 16-30 Junho 1972.

Sem comentários: