21/11/2017

A Termodinâmica contraria o Marxismo


Em primeiro lugar há uma matéria macrofísica, que vai desde o objecto conhecido às estrelas e galáxias. Está formada por sistemas de moléculas, de átomos, de partículas, e é governada pelo princípio da degradação de energia (em virtude da segunda lei da Termodinâmica). Num sistema fechado, a energia degrada-se, ou seja, passa de formas mais complexas de organização para outras menos complexas e menos estruturadas. Aqui encontra o materialismo dialéctico a sua sentença de morte, já que a matéria que ele perspectiva não é passível de evolução, ou seja, de passar a níveis superiores de organização e heterogeneidade. O que sucede é precisamente o contrário e por isso mesmo, no seu tempo, Marx e Engels se recusaram, com inteira lógica, a aceitar como verdadeira a segunda lei da Termodinâmica.

António Marques Bessa in «Ensaio sobre o fim da nossa Idade», 1978.


Nota: O autor não refere, mas assumindo que as leis físicas da Termodinâmica são verdadeiras – e eu creio que são – então, não apenas o Marxismo, mas também a Teoria Evolucionista é uma impossibilidade física e natural.

10 comentários:

O Resistente disse...

O evolucionismo é com certeza uma impossibilidade, mas não por esse motivo.

A termodinâmica diz que o grau de entropia/desordem do Universo tende a aumentar com o tempo. Mas isso não impede que haja um aumento localizado da ordem em algum canto do universo, às custas de uma maior desordem noutro canto.

É precisamente o que acontece em relação à Terra e ao Sol. O aumento da entropia neste leva à diminuição da entropia naquela. Ou seja, a ordem na Terra é mantida às custas da desordem crescente no Sol, que vai ficando cada vez mais "entrópico".

Anónimo disse...

Mas António Marques Bessa está mesmo a dizer que estamos condenados a vivir em sistemas sociais e económicos cada vez piores? Se eu estou a entender-lo correctamente, não há esperança para o tradicionalismo.

Reaccionário disse...

Resistente,

O Evolucionismo é falso, também porque é termodinâmicamente impossível.

Aqui o uso das palavras "ordem" e "desordem" é falho, e por isso deve ser evitado.

Simplificando: O Sol perde calor (logo, aumenta de entropia). A Terra perde calor (aumenta de entropia), mas também recebe calor do Sol (diminui de entropia). Logo, o sistema terrestre fica equilibrado, enquanto o Sol vai "morrendo".

No entanto, a entropia geral do Universo tende ao máximo.

Reaccionário disse...

Anónimo,

Não está a entender correctamente. Aquilo que diz as leis da física (e não António Marques Bessa) é que a matéria, por si só, não é passível de evolução, ou seja, de passar a níveis superiores de organização. Isto é a condenação do Materialismo. E não sei como se pode confundir com Tradicionalismo. Provavelmente o Anónimo não sabe o que é o Tradicionalismo, e está a confundi-lo com movimentos restauracionistas.

O Resistente disse...

Mas se o "calor" que a Terra perde for menor que aquele que ganha do Sol, a entropia local diminuirá, ainda que a entropia total do universo aumente.

> a matéria, por si só, não é passível de evolução, ou seja, de passar a níveis
> superiores de organização.

Precisamente. Essa para mim é a melhor objeção.

A evolução é contraditória até em seu nome. Um evolucionista, para ser coerente, teria que começar por negar que há evolução, apenas mudanças erráticas nas formas físicas. Se coerente, um evolucionista deveria afirmar que entre uma bactéria, ou um grão de areia, e um homem há apenas uma diferença quantitativa, mais átomos, mais energia, mais etc., e não uma diferença qualitativa.

Anónimo disse...

Não estou a perceber a conexão entre a leis da termodinâmica e ideologias políticas, seja a ideologia Marxismo, Tradicionalismo, Liberalismo, Fascismo, ou o que seja. Mesmo ideologias materialistas dependem não só de materiais mas também de acção humana sobre os materiais. Sendo assim, não percebo como as leis da física condenam (ou não condenam) o Marxismo.

Não sou Marxista, desde logo. Sobre Tradicionalismo confesso saber pouco para além dos excertos que o senhor põe neste blogue. Espero ter um dia ocasião para ler os livros que o senhor amavelmente disponibiliza neste blogue. Sou um português patriótico. Actualmente a ideologia com que mais me identifico é o falangismo de José Antonio Primo de Rivera. Contudo, rejeito o iberismo ou mesmo a aliança peninsular (pelo menos na forma em que esta foi pensada por António Sardinha), pelo simples motivo de que os portugueses temos obrigações ao nosso pasado que temos de respeitar.

Reaccionário disse...

Resistente,

Naturalmente, se a Terra receber mais calor do que perde, então a sua entropia será negativa. E não há necessidade de usar calor entre aspas, porque a Termodinâmica estuda precisamente os processos térmicos.

O sentido verdadeiro e católico de evolução é: Passar da potência ao acto. Por exemplo, a semente (potência) evolui para planta (acto). Mas os ditos evolucionistas distorcem o sentido de evolução e fazem dela uma mutação. Por exemplo, dizem que o macaco passa a homem. Mas o macaco não é um homem em potência.

Reaccionário disse...

Anónimo,

Não é uma questão de ideologia, mas de princípios, de filosofia... Enfim, anda tudo arregimentado em grupos e clubes, em vez de procurarem primeiro o Ser, a essência, a natureza das coisas... Faz muita falta, não autores e ideologias, mas Lógica e Ontologia.

Materialismo não é sinónimo de coisas materiais... O Marxismo defende o Materialismo, isto é, para ele a Matéria é tudo o que existe. Mesmo os fenómenos não-materiais (como por exemplo os sentimentais e espirituais), segundo o Marxismo, são um produto da Matéria.
Também segundo o Marxismo, a Matéria é criadora e evolui. Ou seja, passa naturalmente de formas simples a formas mais complexas. No entanto, as leis da Física (Termodinâmica) mostram-nos que a Matéria, pelo contrário, tende naturalmente a formas mais simples, menos estruturadas – é o princípio da degradação de energia. O materialismo marxista fica assim fisicamente refutado. A Natureza não é como os marxistas dizem.

O Tradicionalismo não é uma ideologia; antes é um critério de discernimento. E o blogue VERITATIS não segue autores, grupos, movimentos. O VERITATIS segue apenas a Tradição Católica e Portuguesa expressa na trilogia Deus-Pátria-Rei.

Anónimo disse...

Já percebo melhor. Muito obrigado pela informação, e adiante com esta grande blogue.

Reaccionário disse...

Obrigado.

Volte sempre.