11/06/2018

O intendente Pina Manique


Diogo Inácio de Pina Manique (1733-1805). Era formado em Leis pela Universidade de Coimbra, tendo demonstrado sempre muito zelo no desempenho de elevados cargos e delicadas missões. Ganhou por isso a confiança do Marquês de Pombal, que o encarregou de variados serviços. Criou os serviços aduaneiros e fez o censo da população portuguesa em 1776. Após a queda do Marquês de Pombal (1777), foi nomeado Intendente-Geral da Polícia, cargo que acumulou com outros de grande importância, podendo dizer-se ter sido uma das figuras políticas de maior relevo durante a «Viradeira», no reinado de D. Maria I. Desenvolveu dura repressão contra as ideias liberais, criando um corpo de polícia especial para combater a espionagem e a literatura revolucionária, o que obrigou ao exílio de alguns intelectuais e artistas. Em Lisboa, mandou construir o Teatro de São Carlos e instalar a iluminação pública. Fundou a Casa Pia, que começou a funcionar em 1781, no Castelo de São Jorge, como recolhimento de pobres mendigos. Foi demitido em 1803 pelo regente D. João, por pressão diplomática de Napoleão Bonaparte. Faleceu dois anos depois.

Fonte: «Focus: Enciclopédia Internacional», Volume III, 1965/1970.

2 comentários:

Anónimo disse...

"Desenvolveu dura repressão contra as ideias liberais, criando um corpo de polícia especial para combater a espionagem e a literatura revolucionária".
Diga-se, repressão contra a maçonaria...combater a maçonaria e a literatura maçônica.

Eduardo

Reaccionário disse...

Maçonaria, que é a filosofia do Liberalismo.

«Digam-lhes, numa palavra, que somos a Filosofia do Liberalismo» (Eugène Goblet d'Alviella, Grão-Mestre do Grande Oriente da Bélgica)