07/07/2012

Liberdade


Nós aprendemos pelo raciocínio e verificámos pela experiência que não é possível construir sobre esse conceito – a liberdade – um sistema político que garanta efectivamente as liberdades legítimas individuais e colectivas; pelo contrário, vimos que em seu nome foram defendidas – e até com uma certa lógica, meus Senhores! – todas as opressões e despotismos. Vimos que a adulação das massas pela criação do «povo soberano» não deu ao povo, enquanto agregado nacional, nem influência nos assuntos públicos, nem aquilo que o povo – soberano ou não – mais deseja: ser bem governado.

António de Oliveira Salazar in «Salazar e a Revolução em Portugal» de Mircea Eliade.

Sem comentários: