04/06/2013

Ecumenismo e Maçonaria


Podemos dizer que o ecumenismo é o filho legítimo da Maçonaria... No nosso tempo, o nosso irmão Franklin Roosevelt reclamou para todos a possibilidade de "adorar a Deus segundo os seus princípios e convicções". Isto é tolerância, e é também ecumenismo. Nós, os maçons tradicionais, permitimo-nos parafrasear e transpor estas palavras de um estadista célebre, adaptando-as às circunstâncias: católicos, ortodoxos, protestantes, israelitas, muçulmanos, hindus, budistas, livres-pensadores, livres-crentes, estes são apenas os nossos primeiros nomes; a Maçonaria é o nome da nossa família.

Yves Marsaudon in «L'oecuménisme vu par un franc-maçon de tradition».

7 comentários:

Anónimo disse...

MAÇONARIA É SATANISMO

Reaccionário disse...

Ecumenismo, laicismo, sincretismo, indiferentismo... tudo isso é veneno maçónico, tudo isso é coisa do Demónio.

Reaccionário disse...

http://accao-integral.blogspot.pt/2013/01/fora-da-igreja-nao-ha-salvacao.html

Anónimo disse...

Há pensamentos muito estúpidos e este é um deles, Achar que um Maçom poder ser Católico é a mesma coisa que dizer que um Nazi pode ser Judeu... Existiram, claro que sim, mãs eram estúpidos.

Reaccionário disse...

Anónimo,

Um maçon pode perfeitamente ser católico, já um católico não pode ser maçon. Eu explico: A natureza da Maçonaria é sincrética (funde várias doutrinas) e indiferentista (indiferente quanto à religião). Daí que a Maçonaria tenha tanto interesse no Ecumenismo. Para o pensamento maçónico é crucial fundir todas as religiões/doutrinas numa só, visto que para eles a "verdade" não está contida numa única religião/doutrina (existente ou por existir). Para eles a "verdade", que não necessita de Revelação, só pode ser alcançada através da Razão e de forma sincrética e indiferentista.

Anónimo disse...

A maçonaria mundial e todas as seitas a ela ligadas, mesmo que propositadamente adoptando outras designações, é sinónimo do Mal que tem estado a destruir as Nações há vários séculos e com elas grande parte da Humanidade. E vai continuar. A nossa fatalidade como País (re)começou em 1974. Honra seja feita ao grande Estadista e Patriota Maior que foi Salazar, pois enquanto teve poder e força física a fez estar bem afastada de Portugal. Quando pela lei da vida o Estadista teve de partir, logo após o Mal infiltrou-se no País e nesse exacto dia ficou traçado o mais cruel destino para esta Pátria amada. Uma Nação como a nossa, Gloriosa e Valente e quase milenar, não merecia tão trágico fim.
Maria

Anónimo disse...

Maria.

Salazar manteve-nos livres da maçonaria.