03/04/2015

Soneto a Cristo crucificado


Não me move, meu Deus, para Te amar
o Céu que me prometeste,
nem me move o Inferno tão temido
para deixar por isso de Te ofender.

Tu me moves, Senhor; move-me ver-Te
pregado numa cruz e escarnecido,
move-me ver o Teu Corpo tão ferido,
movem-me as Tuas afrontas e a Tua morte.

Move-me, enfim, o Teu amor, e de tal maneira,
que ainda que não houvesse Céu, eu Te amaria,
e ainda que não houvesse Inferno, eu Te temeria.

Nada tens que me dar para que Te queira,
pois mesmo que eu não esperasse o que espero,
o mesmo que Te quero, eu Te quereria.

São João de Ávila

Sem comentários: