18/02/2016

O Rei como Pai da Nação


Sendo a Nação, no seu melhor conceito, uma família extensa e permanente, na impossibilidade de a manter sob o governo do mesmo chefe, recorre-se ao benefício da hereditariedade para que o poder não sofra interrupção. Por isso o Rei representa tanto a Nação, como cada um de nós os seus antepassados. Ninguém escolhe o Rei, como ninguém escolhe o próprio Pai para lhe obedecer.

Alberto de Monsaraz in «Cartilha Monárquica».

6 comentários:

Anónimo disse...

Como, então, uma nação sem família real, como os EUA, viria a ter um rei? Por aclamação? E qual seria a aceitação desse rei sem sangue azul pelas monarquias tradicionais de 500 anos?

Reaccionário disse...

Desenhar um círculo quadrado? Os EUA são uma criação artificial, nascida de uma revolta contra o Rei inglês. A chamada "guerra de independência" é uma guerra contra a autoridade legítima.

Anónimo disse...

Entendo. Mas não me refiro somente nem especificamente aos EUA. De que modo uma nação sem tradição monárquica, como uma república, uma tribo autóctone ou um povo sem Estado, ou até mesmo um novo Estado, fruto de separatismo, vem a se tornar uma monarquia?

Reaccionário disse...

A Monarquia é a forma de governo natural, que não é mais do que a extensão da forma de governo familiar. Uma família é governada pelo Chefe de Família, uma tribo é governada pelo Chefe da Tribo... Nem todas as nações ou tribos são Estados independentes, mas a sua governação é naturalmente monárquica.

Anónimo disse...

Caro, eu agradeço a boa vontade, mas o senhor está respondendo perguntas que eu não fiz. Talvez eu não esteja sabendo me explicar. Eu gostaria de saber como, no mundo de hoje, uma nação sem tradição monárquica, como uma república sem, veja bem, sem família real ou tradição de monarquia, ou um povo sem Estado, ou mesmo um novo Estado, escolhe alguém para ser seu rei. Em outras palavras, como se escolhe um rei do zero, entenda por favor. E nessas condições, qual seria a aceitação, de outras famílias reais, da legitimidade desse novo rei.

Reaccionário disse...

Anónimo,

Escolhe-se alguém para ser Rei da mesma forma que se escolhe alguém para ser Pai, ou seja, não se escolhe. Veja o que está escrito no texto: "Ninguém escolhe o Rei, como ninguém escolhe o próprio Pai para lhe obedecer."

No mundo de hoje, tal como no mundo de ontem, não existem nações sem tradição monárquica, como não existem famílias sem tradição paterna. Não existe nação sem hierarquia. Portanto, uma nação que esteja privada do seu monarca, é porque provavelmente cortou com o seu legítimo superior. Como foi o caso das 13 Colónias que cortaram com o Rei inglês.

Em caso de ser impossível a restauração da Monarquia Tradicional Católica (hoje em dia é impossível), deve ter-se um sistema político que mais se aproxime dela. Foi o caso do Estado Novo em Portugal.