01/12/2016

A Restauração na visão da Venerável Leonor Rodrigues


Gravura do século XVII ou XVIII de Santa Teresa de Ávila (espanhola) e de Dom João IV, onde se lê a seguinte descrição a respeito de uma visão da Venerável Leonor Rodrigues:

Na Era de 1639, um ano antes da Aclamação deste Reino, teve esta visão a Venerável Serva de Deus Leonor Rodrigues, na qual viu o Duque de Bragança sentado num Trono Real, e a Santa Teresa que com a mão esquerda lhe metia um ceptro na mão; e deu-se a entender a esta Serva de Deus, que dali a um ano teriam os Portugueses Rei natural, por intercessão da Santa, e por estar a sua mão esquerda [relíquia] em Portugal; por isso com esta mão lhe punha o ceptro, e não com a direita. Assim se cumpriu no ano seguinte de 1640.

§

Sobre a Venerável Leonor Rodrigues, pode ler-se no Ano Histórico:

A Venerável Leonor Rodrigues foi natural da Vila de Mourão da Província de Alentejo. Na Cidade de Évora tomou o hábito de Terceira Carmelita Descalça, e por grandes mestres espirituais desta Religião foi dirigida por espaço de cinquenta anos contínuos. Era dotada de muitas virtudes. Teve espírito penitente, extático, milagroso, e profético. Depois da preciosa morte que teve neste dia [11 de Abril], ano de 1639, ficou como se estivera viva, tratável e flexível. Toda a Cidade a venerou sempre, e acompanhou o seu enterro até à sepultura, que se lhe deu na Igreja do Convento dos Remédios de Carmelitas Descalços.

2 comentários:

Ferdinand disse...

Às vezes penso de que valeram todos estes santos e monarcas de outrora, se o destino final dos países (Portugal incluído) foi esta destruição espiritual irreversível onde vivemos, sem santos nem reis.

Pedro Oliveira disse...

Ou seja... o que encontramos de fontes antigas, acaba por confirmar SEMPRE a nossa posição! Interessante... Os únicos divergentes, afinal, são os que começaram a escrever no séc. XIX e não vão na linha dos tais "absolutistas", que forma os defensores da Fé e perseguidos pela maçonaria e liberalismo.

Simbolicamente, o mesmo com a extensão da Santa Igreja Patriarcal (um patriarcado, de facto): alguns católicos influenciados pela pela propaganda liberal, ou pela literatura de outros que foram enganados por ela, deitam-se de unhas e dentes a esse "abuso" do poder Régio e da Igreja, quando na verdade foi ele um acto de justiça (tal como escreveu em Bula o Papa de então).

Agora aparece a associação "causa tradicionalista", que é menos tradicionalista que qualquer modernista do início do séc. XX.

Não sobra nada... a corrupção total chegada a todos os cantos onde houve outrora resistência!

Vinde Senhor Jesus... não tardeis!